quarta-feira, 23 de outubro de 2013

O CANTO FICA PERDIDO SE É GRANDE ESSE NEGÓCIO DO FINAL!

*IMAGEM: ACERVO PESSOAL
CARÍSSIMO
NÃO SEI O QUE DIZER NESTE DIAS ONDE NADA ACONTECE, POIS O BICHO QUE DENTRO DE MIM PERDE VIDA E SE ALIMENTA, SEMPRE INSACIÁVEL, FAMINTO, ROENDO-ME A ESTRANGEIRA VIDA, PELA LIGEIREZA DO SOPRO QUE A VOMITOU QUALQUER PALAVRA SAI MOLHADA E É ASSIM QUE BEIJO O SEU HÁLITO, POIS A CANÇÃO SÓ TEM SENTIDO SE-SE- CANTAR!
ENTÃO FICA UM ESPAÇO, UMA VAGA ESPERANDO OUTRAS TENTATIVAS DE SE ENGANAR O TEMPO. VIDA QUE PASSA, ONDE AS FIGURAS DE ESCÁRNIO E MAL DIZER PERCORREM O MUNDO, OUVINDO O ECO DA SOLIDÃO, NUM LONGÍNQUO CHORO NOTURNO, UM MIADO DOLENTE DE RAPOSA QUASE ESQUECIDO DESTA ALMA QUE EU E VOCÊ SE TORNARÃO UM DIA? A PENADA E A PEDINTE, SABEREMOS DO APELO DO ESPASMO CONVULSIVO, A INTRANSIGÊNCIA DA DOR-DE-SER-SÓ E, FINALMENTE, SENTIREMOS VIVOS E COMPLETOS NUMA NOITE SOLITÁRIA DO FUTURO SEM JANELAS.
O POETA SÓ É GRANDE SE SOFRER E O CANTO FICA PERDIDO SE É GRANDE ESSE NEGÓCIO DO FINAL!

Nenhum comentário: