quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

MEU AMOR COM SODA CÁUSTICA...

CARO DIÁRIO
POR QUE NÃO ENSINAM ÀS PESSOAS DESDE MUITO PEQUENAS (QUANDO ELAS AINDA SÃO SINCERAS...), QUE ELAS SÃO INDIVÍDUOS PRECIOSOS E QUE DEVEM AMAR NÃO POR CARÊNCIA, NECESSIDADE OU FALTA (EXCESSO?) DE SENTIMENTOS, ACREDITANDO QUE DESSA FORMA A SOLIDÃO DE SUAS EXISTÊNCIAS CESSARÁ.
MAS SIM AMAR COM O CORAÇÃO EM PAZ, COM A IDÉIA QUE NEM A PESSOA MAIS ÍNTIMA PODE COMPARTILHAR A SUA DOR.
A DOR DE NÃO SER HERMAFRODITA.
A DOR DE NÃO TER COM QUEM PARTILHAR AS SUAS ENTRANHAS.
O HOMEM DEVE CULTIVAR A SI MESMO COM AMOR E CUIDADO (COMO UM LINDO JARDIM), POIS UMA ROSA É UMA ROSA É UMA ROSA E APENAS ISSO.
ACREDITANDO SER ETERNO, CABE AO HOMEM SER ETERNO PARA SI MESMO.
AFINAL UMA COISA É CERTA!
VOCÊ SERÁ AQUELE QUEM MAIS TEMPO LHE FARÁ COMPANHIA.
ASSIM DEIXARÁ O AMOR LIVRE DESTA OBRIGAÇÃO.
DEVE O HOMEM ACREDITAR NA DURABILIDADE DO AMOR, MAS NUNCA FORÇÁ-LO A ISSO.
FIM
* Poemiragem inspirado nos escritos de Virginia Woolf, Fernanda Young, Clarice Lispector e Simone de Beauvoir

Nenhum comentário: